Sejam bem-vindos ao KatherineLangford.com.br, a sua primeira fonte de informações brasileira sobre a atriz Katherine Langford, Fique a vontade para desfrutar de todo o conteúdo postado aqui, siga também o KLBR nas redes sociais e fique ainda mais informado. Agradecemos a visita e esperamos que volte sempre! Este é apenas um site feito de fãs para fãs, sem fins lucrativos.


Fonte: HobbyConsolas

Você está procurando uma nova série para se apaixonar? Bem, a partir de hoje, a série ‘Cursed’ estará disponível na Netflix, uma série de ficção baseada no romance gráfico ilustrado por Frank Miller e escrito por Tom Wheeler, estrelando Katherine Langford (conhecida por ter interpretado a falecida Hannah série ’13 Reasons Why’, também da Netflix), na qual o mito do rei Arthur é reinventado a partir da perspectiva da personagem de Langford.

De acordo com a sinopse, a série ‘Cursed’ segue os passos de Nimue, uma heroína adolescente com um dom misterioso, que em breve se tornará a ‘Senhora do Lago’.
Depois do falecimento de sua mãe, ela encontra uma inesperada aliança em Arthur (Devon Terrell), um jovem mercenário que a acompanhará na missão de encontrar Merlin (Gustaf Skarsgård) para entregar a espada antiga: a Espada do Poder.

Ao longo de sua missão, Nimue se tornará o símbolo de coragem e rebelião contra os terríveis Paladinos Vermelhos, cuja missão é exterminar os Fey, criaturas fantásticas, as quais Nimue pertence.

Graças à Netflix, tivemos o prazer de entrevistar os criadores: Frank Miller e Tom Wheeler, que nos contaram sobre suas fontes de inspiração, os detalhes das filmagens e como se sentiram ao ver seu trabalho ser transferido, bem como com o elenco principal: Devon Terrell, que interpreta Arthur e Gustaf Skarsgård, mais conhecido por seu papel como Floki em Vikings, que interpreta Merlin.

Mas, sem dúvidas, foi muito especial poder falar com Katherine Langford, a jovem heroína que interpreta a protagonista Nimue.

Como você se sente interpretando a Nimue, depois de o público te conhecer como Hannah Baker por dois anos?
Esse processo em particular é muito especial para mim, no sentido de que realmente parece que é diferente de tudo que já fiz antes. E também parece que estou contando uma história diferente. É algo como ter amadurecido e crescido de alguma forma, também como pessoa. Nós realmente vimos essa jovem se tornar uma mulher adulta. E acho que é uma história e uma jornada que muitas vezes não são contadas, ou das quais não vemos muito. Você sabe, ’13 Reasons Why’ foi o meu primeiro papel e algo pelo qual sou muito grato e, obviamente, ter esse ótimo relacionamento com a Netflix é uma feliz coincidência, pois eles são responsáveis. Mas acho que também me sinto bem por ter uma folga, por encerrar esse capítulo há dois ou três anos e ter espaço para fazer alguns outros papéis antes de assumir outro grande compromisso como esta série.

Como isso pode ser algo importante para uma jovem? Porque Nimue é uma menina, mas ela se torna uma guerreira. Você acha que essa série será algo que inspirará jovens mulheres?
Espero que sim, de qualquer forma, apenas no sentido de representação e de ver a história da heroína, a realidade é que, como mulher ou mulheres, independentemente e ao longo da história, sempre fomos heróis, você sabe, nós sempre fizemos coisas extraordinárias.

Mas talvez em nossa sociedade não tenhamos sido autorizadas a ser vistas ou reconhecidas por essas realizações. Então, eu acho que é realmente importante que as pessoas possam ver e se conectar com histórias que talvez reflitam potencial para elas ou contar histórias que ressoam com elas. E definitivamente, você sabe, crescendo e sendo tão fã do gênero fantasia, é realmente um espaço em que raramente vemos histórias de mulheres, e muito menos vemos mulheres localizadas no epicentro desses contos lendários. Só de ter a chance de contar essa história, não apenas uma parte da lenda arturiana que nunca vimos, mas também explorar o que é essa jornada para uma mulher e a história e a jornada de uma verdadeira heroína foram uma verdadeira honra e algo realmente emocionante. Obrigada.

Eu me pergunto, como você se preparou para esse papel? Você leu as lendas arturianas e como é Nimue em outras histórias?
Eu cresci sendo fã do gênero de fantasia e ficção científica e também sou fã de história, adoro saber sobre a história. E sinto-me como muitas pessoas, nós crescemos familiarizados com essa lenda arturiana e é uma das lendas mais antigas e conhecidas que temos. Mas, novamente, quando pensamos nas lendas arturianas, frequentemente pensamos em Arthur, Merlin, os Cavaleiros da Mesa Redonda, mas na verdade não sabemos muito sobre os outros personagens dessa lenda. Especificamente, essa poderosa personagem icônica, a ‘Senhora do Lado’.

Ela é uma personagem recorrente, no entanto temos pouca ou nenhuma informação sobre ela. Então, quando me inscrevi no projeto, peguei o manuscrito de Tom e do Frank e comecei a tentar pesquisar sobre ela e, embora haja muita arte preciosa e acho que algumas influências folclóricas ou coisas que foram criadas sobre ela como a ’Senhora do Lago’, não há realmente nada sobre ela antes que ela se torne essa figura icônica. Então, tentei me familiarizar o máximo que pude com o autor e a lenda, mas também sabia de alguma forma que era uma tabula rasa. E assim, meu tipo de Bíblia era o livro e essa história, que evoluíram ao longo da série. E como resultado disso, acho que o personagem de Nimue também evoluiu.

Então, não temos o passado de todos os personagens, mas, obviamente, é uma figura muito conhecida, a ‘Senhora do Lago’ surge e passa a ser uma figura bastante conhecida, houve alguma pressão ao interpreta-la e também interpretar uma versão diferente dessa personagem, um que é completamente diferente do que as pessoas talvez conheçam?
Acredito, mais uma vez, que a lenda arturiana é muito popular, acho que a pressão é que você não quer contar essa história que foi contada centenas e centenas de vezes da mesma maneira que já foi dita tantas vezes. Mas também ao mesmo tempo, acho que isso não era algo que necessariamente me preocupava, nem aos criadores, porque o que estou dizendo é que as lendas arturianas são grandes histórias, é um capítulo que nunca vimos antes. É bastante libertador porque é uma tabula rasa, essa história não foi realmente contada.

Nesse sentido, nos deu muita liberdade criativa. Mas também acho que o que é realmente emocionante é que não apenas vemos a história ou ouvimos este capítulo, que nunca ouvimos antes, mas também podemos ver esses personagens que conhecemos e amamos de uma maneira que nunca foram vistos antes. E eu acho que tudo isso foi realmente emocionante e revigorante, sendo capaz de recontar uma história que foi contada centenas e centenas de vezes através de uma lente completamente nova. Você sabe, é uma oportunidade incrível e algo de que tenho muito orgulho na versão que demos.

Sua personagem Nimue é uma personagem muito complexa. Há alguma semelhança entre Katherine e Nimue?
Obrigada. Ela é muito corajosa e determinada. E o que ela consegue é algo que eu só poderia associar. Mas estou contente em me colocar no lugar dela todos os dias. Eu acho que isso foi digno o suficiente. Há esse lado deles onde ela é tão corajosa e se torna o rosto dessa rebelião para o seu povo. Mas também, ao mesmo tempo, acho que o que é interessante nela, e o que também é essencial para ela não é ser o super-herói perfeito. E sinto que, como sociedade, nos afastamos daquela representação em preto e branco do bem e do mal.

Ela faz coisas corajosas, mas no final do dia, acho que o que faz de um herói um herói é como alguém supera obstáculos. E a adversidade que lança neles. E ela é alguém que passou por muitas adversidades, tristezas e lutas. E então eu acho que ela é muito forte e corajosa, mas também é muito compassiva. Como a maioria das pessoas que sofreu uma perda tremenda ou passa por coisas realmente difíceis, essas pessoas sabem como é isso e não quer que outras pessoas se sintam assim. Então, você vê essa garota que, por um lado, é muito corajosa, mas também é extremamente compassiva, mesmo com estranhos. Ela não quer que ninguém seja ostracizado, oprimido ou basicamente injustiçado, ela não quer injustiça e, na verdade, sofreu muito, muito. Então, acho que de alguma forma, Gostaria de pensar que sou uma pessoa empática, sinto a dor das pessoas e adoro ouvir as histórias das pessoas. E acho que a injustiça é algo que também não parece muito bom comigo, provavelmente ninguém. Então, nesse sentido, sim, eu diria que provavelmente somos um pouco parecidas.

Como foi o relacionamento com o elenco? Seu personagem tem conexões tão fortes com outros personagens, isso foi refletido nos bastidores?
Sim. Sim. Eu me sinto muito sortuda com esse elenco, acho que todo mundo também. Todos nós nos damos muito bem. E não apenas existem atores incríveis, mas as performances também são incríveis, são pessoas incríveis e muito divertidas. E quando você está fazendo algo dessa magnitude, que é muito pesado, é sempre bom ter alguma leveza nos bastidores e depois voltar a fazer essas coisas pesadas. Eu acho que, especialmente para mim, há muitas vezes que eu estava sozinha no set. E pode ser assim que você se sentiria um pouco sozinho, talvez. Mas, novamente, eu também tive essas cenas e viagens incríveis com quase todo mundo no elenco. Então, ser capaz de conhecer pessoas individualmente e passar muito tempo com elas em diferentes momentos da temporada, foi muito bom, poder conhecer pessoas gradualmente ao longo da temporada. Não sei se teremos a chance de fazer isso de novo, mas se o fizermos, seria bom voltarmos a reunir-nos em uma grande reunião.

Em quanto tempo você aprendeu a usar a espada e como foi o treinamento das cenas aquáticas?
Eu costumava nadar e treinar como atleta, como a maioria dos adolescentes da minha infância. Então, ter um papel que me permitiu usar minha aptidão para atuar foi algo que realmente me empolgou. Acho que sempre desejei ter mais tempo com essas coisas. Porque houve aproximadamente três semanas em que realmente aprendemos essas habilidades e depois mergulhávamos na temporada e, de alguma forma, continuávamos assim.

Mas em termos de luta com espadas, o que foi realmente interessante foi que, obviamente, junto com todos os componentes físicos, houve também um diálogo que queria começar sobre como Nimue lutaria, o armamento é predominante e historicamente usado por homens e a maneira como os homens lutam é bem diferente da agilidade e força de uma mulher. Temos estilos de luta diferentes, como eu acho que quando você olha artes marciais, o Wing Chun é projetado especificamente para mulheres porque satisfaz nossos pontos fortes. E isso era algo que eu realmente queria seguir: criar esse estilo de luta feminino, que na verdade é bastante japonês, é bastante fluido e forte, mas também tem muita resistência.

Mais uma vez, como nadadora, acho que poderia ter me proporcionado uma vantagem e crescido na Austrália, eu amo a água, por isso estou muito agradecida por você saber que é algo que realmente gostei. Foi muito divertido, mas também foi uma experiência realmente nova e um pouco assustadora, porque em uma das cenas você só agora vê um segundo do que filmamos naquele tanque por doze horas.

Há uma tomada em particular em que estava basicamente ancorada ao fundo deste tanque, e você desce e não pode ver, pode ouvir, mas só recebe oxigênio quando solicita, o que é um sentimento surreal que surge completamente debaixo d’água e amarrar ao fundo. De alguma forma, vai contra todos os seus instintos. Mas nós superamos e filmamos em um espaço realmente incrível, foi no Pinewood Studios, que é onde tudo foi filmado, os filmes de James Bond, então eu estava em boas mãos e, realmente, adorei me jogar lá e aprender aqueles habilidades.

Layout criado e desenvolvido por Lannie.D - Hosted by flaunt
Alguns direitos reservados