Acompanhe-nos
24.06
2017
Katherine Langford fala com a ‘Awards Daily TV’ sobre Dylan Minnette e 2ª Temporada de ’13 Reasons Why’

Fonte: Awards Daily TV

Katherine Langford fala com a ‘Awards Daily TV’ sobre como trabalhar com especialistas a ajudou intrpretar Hannah em ’13 Reasons Why’, da Netflix.

Quando ’13 Reasons Why’ estreiy na Netflix no começo deste ano, se transformou em um assunto para conversas. Baseado no livro best-seller de Jay Asher, a história nos levou em uma conversa profunda sobre adolescência e suicídio. Na série, Hannah (Katherine Langford) grava 13 fitas sobre as pessoas que a levaram a cometer suicídio.

A série ajudou a esclarecer sobre doença mental em adolescentes, estupro e suicídio. Começou uma conversa. O material da série foi sólido, as atuações foram brilhantes. Eu me encontrei com Katherine Langford recentemente para falar sobre interpretar Hannah e o que ela pode nos contar sobre a segunda temporada.

Com a votação do Emmy em curso, a australiana Katherine Langford teve uma performance de estréia incrível na série e precisa ser considerada para o seu voto.

’13 Reasons Why’ realmente iniciou uma discussão. Como é isto para você?
É uma pergunta muito boa. Nós gravando durante o ano passado e foi bem discreto. Nós voltamos para trabalhar na segunda temporada e tem sido bem diferente. Agora que a série estreou e as pessoas assistiram, eu acho que tem sido ótimo ouvir as diferentes reações e respostas. Eu fiquei surpresa com a história e como alguns dos assuntos afetou as pessoas.
O que também me surpreendeu foi que o assunto que nós abordamos na série está muito mais prevalente do que eu imaginei. Eu acho que tem sido muito legal ouvir as discussões que o show despertou.

Eu conversei com Mandy Teefey sobre como o show está ressoando. Por que você acha que está ressoando, não apenas os adolescentes, mas os adultos?
Há tantos assuntos que nós abordamos, coisas que são realmente pessoais e tão relevantes. Eu acho que parte do motivo de ter afetado tanta gente é devido ao assunto que nós abordamos e a forma que contamos a história.
Uma coisa que me deixou muito orgulhosa na série foi que nós abordamos o assunto com a mentalidade de querer contar a história da forma mais autêntica possível. É um meio de entretenimento, mas não glamorizando ou romantizando o assunto faz parecer real. Eu acho que este aspecto é que está afetando as pessoas tão profundamente.
Eu também estou muito orgulhosa da série, pois, como uma jovem adulta interpretando uma jovem adulta, nós realmente respeitamos o intelecto dos espectadores. Pessoas de 16 e 17 anos de idade são muito mais espertas do que nós achamos. Definitivamente não parece que é uma série feita para jovens adultos. Parece uma série feita para adultos. Em respeito ao intelecto, é bem assistível tanto para os adultos quanto para os adolescentes.

Voltando, o que eles te falaram sobre o seu personagem quando você conseguiu o papel?
Quando eu fiz o teste para ’13 Reasons Why’, na verdade eu não tinha lido o livro. Eu não tinha pesquisado ninguém ou lido o livro porque eu não queria que afetasse a forma em que eu fiz o teste. Não foi até eu ser selecionada e ter me encontrado com Tom McCarthy e Brian Yorkey que eu tive um melhor entendimento da história que eles estavam contando.

Nós vivemos em um mundo de rede sociais e você só precisa acessar o twitter para ver bullying, mas qual pesquisa você teve que fazer?
’13 Reasons Why’ foi o meu primeiro emprego e foi meio que um batismo por fogo. Eu acho que foi a melhor primeira série para participar. Eu digo isto porque todos que me cercavam foram super prestativos. Os personagens desta série são tão bem escritos e são tão reais.
Parte do que eu fiz pela Hannah, muito do que ela disse me impactou e, pessoalmente, eu queria estar informada. Os produtores nos colocaram em contato com psiquiatras e psicólogos de diferentes organizações, o que eu achei que foi brilhante.
As duas pessoas que eu conversei foi Rebecca Kaplan, de ‘It’s On Us’, e um psiquiatra especializado em doença mental em adolescentes. Eu conversei muito com eles para chegar ao episódio 9, mas também para mim mesma nos episódios 12 e 13.
Conversar com eles me ajudou a me inteirar com a experiência e foi muito útil.

Aqui você está tendo que gravar uma cena muito obscura, o que você teve que fazer para se preparar para a cena do suicídio?
Eu acho que aquela cena foi algo que eu pensei sobre, mas foi uma daquelas cenas em que, quando nós chegamos para fazer, simplesmente aconteceu e não foi cognitivo. Apenas aconteceu.
Naquele momento, eu estava a interpretando por seis meses, e eu já tinha visto toda a jornada de Hannah e passei pelo que ela teve que passar. Além disto, eu tinha feito muita pesquisa e conversado com especialistas.
Eu fiz meu dever de casa em conversar com pessoas que trabalharam de perto com o suicídio na adolescência. Quando chegou a hora, os produtores e diretores me deixaram fazer o que eu tinha que fazer.

Há muitos momentos sombrios, mas há também bons momentos. Quais foram alguns deles para você?
Ah, essa é uma boa pergunta.

Nós fomos da escuridão para a luz.
É bom porque é pesado, mas a série toda não é pesada.

Certo.
O humor em geral dos bastidores era mais leve e tinha um ambiente ótimo. Um dos melhores episódios de se gravar foi o episódio 5, em que nós fizemos o baile. Como uma australiana, eu nunca fui em um baile.
Mas você cresce assistindo. Então foi legal para mim viver aquilo e fazer aquilo.
Foi um episódio lindo. Interpretar Hannah, para mim, as vezes em que ela se divertia mais foi com Clay. No episódio 5, é simplesmente um momento lindo e eu lembrei disto porque eu dou créditos ao Kyle Patrick Alverez, que dirigiu os episódios 5, 6 e 13. Ele fez um trabalho ótimo.

Dylan Minnette e você são ótimos. Como foi trabalhar com ele?
Foi muito fantástico. Quando nós fomos selecionados, Dylan já havia trabalhado por mais tempo que eu. Ele foi tão receptivo e acolhedor. Eu acho que ele é o melhor parceiro que eu poderia ter escolhido. Ele é tão generoso e realmente gentil. Ele é um ator tão talentoso e muito gracioso.
Passar pelo que eu passei como Hannah, eu realmente apreciei fazer as cenas com ele porque ele deu tudo.
No episódio 11, a cena em que Hannah e Clay estão juntos é quando eles ficam juntos e tudo acaba. Gravar aquela cena foi um dos momentos mais incríveis que eu tive. Foi um momento que eu sempre vou lembrar.

Como você saía da Hannah no fim do dia?
Por níveis, você não pode estar completamente imerso no que você faz, especialmente com Hannah. Ela não foi um personagem que eu podia simplesmente entrar e sair dela. Quanto mais longe íamos, mais eu me apegava à ela porque eu queria fazer justiça à performance.
Eu percebi que o show iria ter um impacto então eu pensei muito sobre ela, mesmo quando eu não estava no set.

A segunda temporada está a caminho, então o que você pode revelar.
Nós estamos mantendo a história debaixo dos panos. Eu li os dois primeiros episódios. Eu acho que a importante discussão vai continuar. Hannah aparece em flashbacks e nós vamos ver um pouco mais da Hannah que nós não vimos antes.

Deixe seu comentário



Procure por notícias, fotos e vídeos :)
Design e codificação: Gustavo Portela - Todos os direitos reservados Katherine Langford Brasil - Hosted: Fan Village

eXTReMe Tracker